quinta-feira, 22 de maio de 2008

Cotidiano nº 2

Eu perdi o meu amor para uma novela das oito. Desde essa desilusão eu me desiludi. O meu coração palpita aparte, poupando-me de um pouco de sonhos depois desse desengano. E aquela atenção que antes eu ganhava? Se repartiu ao meio. Mulher parada, ligada em outra história, hipnotizada. Trocou o nosso caso que tava no tom. Eu vivia no jogo, ela me esperava. Quando eu pedia fogo ela não negava. Se eu tivesse outra [ereção] ela achava bom. Quando fomos morar juntos ela me adorava. Cozinhava, passava, me alisava. Eu contava piada, ela gargalhava. Metia a mão nela e ela perdoava. A vida era boa, ela não reclamava. Agora vive longe, não sei mais nada. Fugiu da nossa casa com a televisão...





____________________________________
Fugiu com a Novela - Vanessa da Mata - 2007

3 comentários:

Loredana disse...

A cada dia se perdem mais amores para mais novelas e coisas mais inuteis e mais futeis.O sentido figurado aí é excelenete para bons entendedores.Talvez seja um anestésico,o "ópio do povo",o entretenimento disfarçando a vida e reforçando a "tragédia da vida privada" Enfim...
Sempre um belo post!

ps.:É uma honra ter,como voce bem disse, mais essa coisa aqui pra sintonizar-nos.Esse espaço foi criado graças a voce e o nome ,dentre os que eu te mostrei,foi o escolhido por voce Dr Heber F.

beijoo

Mia disse...

Sim sim!! Eu adoro essa música... ainda bem q o meu amor presente não curte novela rsrsrs
Atualmente as pessoas gostam mais da artificialidade que da naturalidade das coisas, dos acontecimentos, das pessoas, dos sorrisos...

Ah, Heber, estarei de vestido verde num baile e de canudo na mão lá pra Outubro - enfermagem. =)
=*

KAZINHA LACERDA disse...

nada dura pra sempre, né?
e como diriam meus queridos hermanitos:
"mesmo vc viu antes de mim
q eu te olhando via uma outra mulher"