quarta-feira, 30 de abril de 2008

Queremos saber ...

Okey, vamos falar do caso Isabella Nardoni - chega uma hora que essa tarefa se faz inevitável. Desde que Caim matou Abel a opinião pública consome escândalos, crimes e toda e qualquer espécie de bafos noticiosos envolvendo, principalmente, celebridades, políticos e classe emergente média. Lembro que nas minhas pesquisas monográficas, referente à utilização de imagem de um indivíduo pela imprensa e toda qualidade de produção cultural, caiu-me às mãos um artigo do Observatório da Imprensa que historiava que no século I, na Roma Antiga, os primeiros boletins (espécies de diários oficiais) que eram afixados na portas dos tribunais tratavam exclusivamente de crimes e divórcios. Até aqui, tudo bem, justifica-se - um pouco - da onde vem esse apetite por desgraças alheias.


Oficialmente, a verdade dos fatos e o interesse público se equivalem. Com isso, a opinião pública se justifica na sua busca pela verdade. Contudo, essa avidez pela 'a verdade' da estórinha da morte da criança - que é contada e recontada dezenas de vezes por dia, milhares por semanas - justifica-se mais pela necessidade de pauta para imprensa e assunto para o público quando já não se tem mais 'paredões' para se papiar numa mesa de bar, do que um legitimo 'interesse pela verdade'. [Daí porque recorro às aspas]


O fato é que o 'público' - consumidor de notícia - foge das tapeação de notícias falsas, mas, comprovadamente, é tolerante a uma certa dose de distorções, impunidades, calamidades, corrupções, vindos dos meios de comunicação. Essa dosagem vai depender do papel que imprensa de cada país desempenha em seu território. E a imprensa brasileira, puff! quer mais é vender. Somando aí o quanto o público brasileiro adora uma novela, acaba o atrativo lhe sendo oferecido aos montes. Quanto maior a novelização, maiores os interesses pelas novidades sobre o próximo capítulo. É irreal, mas seduz e todos saem ganhando.


Conclusão: o interesse do público brasileiro é, na verdade, indiferente à verdade. Não se consomem, afinal, os verdadeiros problemas do Brasil. Preferem reverberar sobre os últimos e inéditos desdobramentos do caso Isabella. Assim, até o próximo 'prato do dia', teremos nada mais do que a carne vermelha requentada, servida no café, almoço e jantar circulando pelas nossas víceras e produzindo o que o público gosta: merda.


________________________________
Queremos saber - Gilberto Gil - 1974

Queremos saber
O que vão fazer
Com as novas invenções
Queremos notícia mais séria
Sobre a descoberta da antimatéria
E suas implicações
Na emancipação do homem
Das grandes populações
Homens pobres das cidades
Das estepes, dos sertões
Queremos saber
Quando vamos ter
Raio laser mais barato
Queremos de fato um relato
Retrato mais sério
Do mistério da luz
Luz do disco voador
Pra iluminação do homem
Tão carente e sofredor
Tão perdido na distância
Da morada do Senhor
Queremos saber
Queremos viver
Confiantes no futuro
Por isso se faz necessário
Prever qual o itinerário da ilusão
A ilusão do poder
Pois se foi permitido ao homem
Tantas coisas conhecer
É melhor que todos saibam
O que pode acontecer
Queremos saber
Queremos saber
Todos queremos saber


10 comentários:

MLR disse...

Perfeita colocação...
Sabe que ontem a noite, eu fiquei pensando que já não aguento mais ouvir sobre o caso Isabella, pois toda vez que lembro de tamanha crueldade me bate uma tristeza sem fim e cada hora aparece algo diferente que deixa a polícia e a gente mais confuso e indignado...Imagina sua pobre mãe, que sofre a pressão de tantas pessoas por uma declaração...Esse sofrimento virou novela, e uma novela das 20:00 que dá muito ibope =(
Gostei daqui tb :D
Beijos e Bom feriado!

Alan - desacomodado disse...

Heber,
em breve, irei ler com mais calmas seus posts. Só queria agradecer a sua visita lá no meu blog. Fique à vontade para visitá-lo sempre...
até mais
se cuida!

boo disse...

não é? acho que é uma coisa complicada aprender isso e eu nem te digo que aprendi de fato. digo ao menos que quero muito. talvez por estar passando por uma boa fase, tenha visto mais sentido na frase, coisa que eu não sei se viria se tivesse tudo perdido. mas de qualquer forma, isso se encaixa na minha situação.

que bom que você gostou da mensagem. eu também amei e percebi que é assim que a vida funciona mesmo. grande guimarães rosa, ele sabia o que dizia.

bom, meu nome é bruna e eu sou de brasília! e por aí, me conte de você também. beijão!

Cinthya Rachel disse...

tb quero saber taaaaaaaaaaaaantas coisas. obrigada pela visita e tô melhorando sim, beijo

boo disse...

by the way, ótimo post.
concordo em gênero, número e grau.

Fortes disse...

Pode parecer frio
+ acho q a "revolta" publica
é na verdade provocada pelo apelo da midia
e não porque as pessoas tem peninha de isabela.
Existem varios casos de pais matam os filhos....+ pq todos tem pena DA isabela?

Séfora disse...

E eis que armaram o circo. E o público é avido pela palhaçada que a imprensa apresenta.

M. disse...

Finalmente li algo com o que realmente espelha o que sinto em relação ao que virou este caso, é triste ver que a polêmica sobre a violência doméstica, vira uma festinha na porta da casa da Mãe de Isabela com disputa por um pedaço de bolo numa suposta homenagem a pobre menina, o que me deixa inquieta é que esta criança não dá para salvar mais e fazem toda esta novela, quanto a criança que pulou do 4º com medo do pai bêbado e que poderiamos ainda ajudar, todo mundo já esqueceu, apesar de ter sido na mesma semana do caso Isabela.
Obrigada por ter visitado o meu blog, adorei conhecer o seu.

.Ná. disse...

Exatamente. Eu não tenho nada a acrescentar no que você disse. Já não aguento mais a pegação da mídia nesse caso. O certo era deixar a polícia fazer o trabalho e depois nos dar, apenas, a resolução.
Bjos

Nícholas Fernandes Gimenes disse...

nossa curti demais o post! curto pra caramba o jeito que você escreve cara... hoje à noite vou dar uma olhada nos posts seus q deixei pra trás... to curioso pra saber o q escreveu neles! ótimo fds pra vc! se cuida!