quinta-feira, 30 de outubro de 2008

Ciências exatas

Na época em que cursava a 6ª série do ensino médio (que hoje corresponde a algo muito próximo do número seis), eu tinha aulas da disciplina conhecida como Ciências com uma professora de quem eu não lembro o nome. Mas não me esqueço jamais da sua cabeleira loira de cachos fofos e finos ajubados por, de quebra, uma franja demais para os anos 90, além de uma lição em particular que ficou fixada nas minhas lembranças tanto quanto esse visu.

Numa daquelas ocasiões de 45 minutos insuportáveis que se arrastavam em cada tempo de aula, a professorinha parou a explanação e nos contou que apesar de estar de corpo presente, dar sua aula com a concentração que as ciências humanas exige, estava difícil. Com surpresa, recebemos a informação que na véspera ela havia dado fim ao seu noivado, depois de três meses de namoro (Noivado com apenas 3 meses de namoro é bem coisa de mulheres acima dos trinta e poucos. E, na época, ela já devia ter os seus). A mulher parecia mesmo muito abalada, mal começou a contar do seu problema e a voz embargou, mas acabou sucumbindo à curiosidade dos alunos e 'desafogou suas mágoas' ( o que não foi muito difícil. Convenhamos, convencer uma trintona, encalhada, mestra na anatomia humana dos órgão periféricos a falar de homem, é tarefa das mais fáceis. Só dá um poquinho de atenção e 5 minutos de conversa).

Depois de meia dúzia de frustações sobre os homens em geral, revelou a todos a verdadeira razão do fim do romance. Nos contou que para comemorar o noivado, havia preparado um jantar para a família e receber o pretendente. Por óbvio, depois da refeição era chegada a hora da 'sobremesa', então partiu animada pro quarto pra dar um tapa na peruca (mas qual?) antes de saírem. Voltando do quarto, entrou na cozinha e pegou o noivo em flagra! Ficou estarricada com a visão da cena que jamais pensou que presenciaria em vida: o flagrante do noivo escovando os dentes na pia da cozinha. Ela nunca esperou isso do homem que escolheu para passar o resto dos seus dias. Aquilo foi demais para ela. O bastante para por fim ali mesmo, ainda com espuma colgate sobre as xícaras de café, no relacionamento com futuro noivo.

Muito diferente da imagem da anatomia dos músculos e órgãos bem impressas na folha transparência que projetava-se na parede branca, toda aquela estória não me parecia nenhum pouco clara. Não consegui entender, afinal, se com todo aquele sofrimento ela tentava nos passar a mensagem que por mais que gostássemos de alguém, pensando que esse alguém tinha tudo a ver com você, hora ou outra iríamos nos deparar com uma pessoa que você terá certeza que jamais conheceu. E melhor não levar adiante coisas desse tipo, pois loucuras já bastam as suas. Ou, se apesar das diferenças, é preciso não ser tão radicais e intolerantes sobre o que se pensa, pois nem todas as pessoas se expressam, amam e tem opiniões próprias sobre enxague bucal iguais. E ainda bobiar de acabar chegando aos trinta anos só e mal comida. Não sei, até hoje tenho essa dúvida. De certeza só a que nunca mais lavei a boca numa pia.

9 comentários:

boo disse...

chapolim adicionado! :D

electrohousewavdjs disse...

não sei se é pior lavar a boca na pia ou chegar aos 30 mal comida!!!
=****

electrohousewavdjs disse...

Dany andrade falando...
=]

Lilia disse...

pior que isso, é deixar a espuma boiando na xícara. (o ato é o mesmo para todos, mas a consequência tem lá seus distintos reflexos)

Séfora disse...

Não era mais simples ela ter pedido para o cara ir para a pia do banheiro nao? kkkkkkkkkk Eu não sei se isso é trágico ou se isso é cômico...

... o último post não é mais sobre o estágio não, é sobre a vida mesmo hehehee...
Ei, que foto?

Joe Tellus disse...

Sua professora está mais que certa. Melhor mal comida solteira, do que mal comida casada...

Começa assim, escovando os dentes na pia da cozinha, depois usa o banheiro de porta aberta, quando vê já começa a soltar pum barulhento na sala...

Joe

Renata disse...

hhahaha adorei! E a coitada com a sua idade avançada e mal comida não devia ser tão exigente, né não?? Era só dar uma bronquinha e pedir pra não fazer mais, oras...

beijos e bom final de semana!

Cristina disse...

Eu acho que escovar os dentes na pia da cozinha é motivo suficiente pra terminar um noivado.

raqueljam disse...

adorei a crônica!
:)
Parabéns Heber

ass: Raquel Maia

voltarei !